Dicas de segurança em condomínios para síndicos

Além da privacidade, a busca por mais segurança é um dos principais motivadores na hora de optar por morar em condomínios fechados. Um dos deveres do síndico responsável pela gestão do condomínio é justamente avaliar com atenção qual a melhor estratégia para manter o ambiente protegido e livre de ameaças.

Confira 5 dicas de segurança em condomínios para síndicos:

1. Leis condominiais, normas de segurança e responsabilidades

Na legislação brasileira há uma série leis condominiais que devem ser respeitadas. É dever do síndico conhecer e entender quais as leis.

Também é preciso saber quais são as suas responsabilidades como gestor, além de conhecer as normas de segurança do condomínio.

Se o condomínio ainda não tiver suas próprias normas instituídas cabe ao síndico desenvolver junto ao conselho formado por moradores.

3. Cadastro de moradores atualizado

O síndico deve ter acesso ao cadastro atualizado de todos os condôminos com informações básicas como: nome e número de moradores por apartamento/casa, contatos de emergência e veículos;

4. Conhecer as dependências e do condomínio

É importante conhecer todas as dependências do condomínio (área interna e externa)  e a própria rua/bairro e  rua/bairro do condomínio para saber de possíveis riscos, ocorrências e se antecipar na prevenção;

5. Informar e conscientizar

Fazer um trabalho contínuo de conscientização sobre segurança com moradores  e funcionários do condomínio orientando sobre a importância de seguir as normas e cuidados básicos de segurança que podem contribuir para manter a segurança de todos;

6. Mantenha-se atualizado

Nas reuniões de condomínio, levar informações atualizadas sobre segurança e incentivar os condôminos para que contribuam com sugestões.

É importante conscientizar os moradores que a sua contribuição e participação em reuniões é sempre importante.

7. Controle quem entra e sai do condomínio

Recomendamos o uso de um sistema de controle de acesso monitorado que, de forma prática, controla o fluxo de moradores e visitantes do condomínio, permitindo acesso somente de pessoas autorizadas.

O uso do controle facilita a vida tanto de quem administra o condomínio, como dos moradores ou visitantes já que dispensa o uso de chaves.

8. Invista em segurança 

O uso de equipamentos de segurança eletrônica é indispensável. São eles que, de forma integrada, são responsáveis por monitorar e prevenir o condomínio de ameaças e vulnerabilidades. Quando, além de segurança eletrônica, também é contratado serviço de portaria ou vigilância, os dispositivos de segurança servem como importante apoio no trabalho destes profissionais.

A contratação de equipamentos e serviços de segurança é uma das responsabilidades do síndico que, junto aos moradores, irá definir qual a melhor solução para o condomínio.


No site da STV você pode conferir todas as soluções em segurança para manter o seu condomínio protegido. Acesse e solicite contato com a unidade da STV em sua cidade: www.stv.com.br/condomínios.

Coleta seletiva em condomínios residenciais

A coleta seletiva é um processo que deve ser constantemente incentivado e aplicado no dia a dia para ajudar na diminuição da poluição e do proliferação de pragas provenientes do descarte incorreto de lixo de casas, empresas e condomínios.

Por ter um fluxo intenso de pessoas, os condomínios produzem lixo em grande escala e por isso é importante aplicar o sistema de coleta seletiva, conscientizando os condôminos a cooperar e informando a eles os benefícios que o processo oferece tanto para a sociedade como para o meio ambiente.

Como implantar de forma efetiva a coleta seletiva no condomínio?

A cooperação de cada condômino é fundamental para que o sistema de coleta seletiva funcione adequadamente no condomínio e, por isso, é importante seguir algumas dicas:

  • Informar e conscientizar os moradores o quão importante é a colaboração de todos para que a coleta seletiva seja funcione;
  • Organizar uma reunião de condomínio para os síndicos ou a empresa contratada para fazer esse serviço possa explicar o porquê da implantação;
  • Verificar o melhor espaço para a implantação das lixeiras;
  • Escolher uma empresa de qualidade para ajudar nesse processo;
  • Comprar lixeiras coloridas, assim os moradores saberão em qual despejar o lixo de forma correta;
  • Criar um informativo listando qual o tipo de material será coletado no condomínio, o que deve ser levado até a sua zona de coleta, além dos cuidados ao separar o lixo para descarte;
  • Afixar placas de sinalização no condomínio informando os dias de coleta.

Ao seguir todas as dicas listadas acima, a coleta seletiva deve ocorrer de forma tranquila, organizada e o condomínio estará fazendo a sua parte na preservação do meio ambiente. 

A diferença entre limpeza e higienização

Limpeza e higienização são dois processos de extrema importância para nosso bem-estar e saúde. Um ambiente limpo e higienizado melhora a qualidade de vida tanto em casa como no trabalho protegendo contra inimigos invisíveis como ácaros, fungos e pragas.

Entendendo os processos de limpeza e higienização

LIMPEZA

Processo que utiliza a água como sua maior aliada, acompanhada ou não de produtos de limpeza como detergente e desinfetantes. É um procedimento realizado para remover sujeiras, poeira e resíduos de alimentos.

A limpeza é indispensável para a execução da higienização do local, é a etapa que prepara o ambiente removendo toda a sujeira visível e deixando pronto para o processo de higienização.

HIGIENIZAÇÃO

Higienização é o artifício responsável pela eliminação dos micro-organismos vivos, que são os maiores causadores de doenças respiratórias, alérgicas e digestivas. Para que o processo seja feito de forma eficaz, é necessário que o ambiente tenha passado por uma boa limpeza.

A higienização passa por alguns níveis que identificam qual procedimento é mais indicado:

Nível baixo – são aniquiladas bactérias e fungos que vivem em seu objeto de forma vegetativa, porém não são eliminados esporos bacterianos, camada responsável por proteger a bactéria, impedindo e bloqueando que agentes químicos da higienização ajam corretamente;

Nível médio possibilita a retirada de fungos e bactérias. Para essa higienização é recomendável álcool etílico 70%;

Nível alto: a higienização atinge e elimina a maioria dos fungos e bactérias, deixando fora apenas alguns vírus lentos e umas bactérias mais resistentes, que são causadoras de doenças. Para uma desinfecção desse nível recomenda-se uma limpeza e higienização profissional.

O serviço de limpeza profissional da STV oferece limpeza e higienização profissional para empresas e condomínios. Para mais informações e orçamento, acesso o site: http://www.limplimpeza.com.br


Cidades atendidas

 Porto Alegre e Grande Porto Alegre: (51) 3311.1405 
Novo Hamburgo: (51) 3081.8604 | Caxias do Sul: (54) 3229.2800 
Itajaí e Joinville: (47) 3151.1055 | Curitiba: (41) 3151.1055
 | São Paulo (11) 3092.3100 | Campinas: (19) 3112.2267

Texto: Alessanda Machado Edição: Vanessa Thalheimer

A importância da coleta seletiva de lixo para o meio ambiente

A coleta seletiva de lixo é a ação de separar os resíduos e materiais que podem ser reciclados dos que devem ser diretamente descartados de forma que não prejudiquem o meio ambiente.

A preocupação com a sustentabilidade já faz parte da vida e rotina de muitas pessoas e organizações.Separar o lixo corretamente é uma das práticas que, além de contribuir para preservação do meio ambiente, também acaba trazendo diversos benefícios como:

  • Desaceleração do desmatamento e a retirada de recursos naturais;
  • Redução de epidemias de ratos e baratas em espaços urbanos;
  • Diminuição da poluição das ruas e calçadas;
  • Mais empregos na área da reciclagem;
  • Auxilia na proteção de animais marinhos e de paraísos tropicais;
  • Redução dos risco de enchentes ocasionadas devido ao acúmulo de lixo nos bueiros.

Mas o que pode ser considerado lixo reciclável?

Os materiais recicláveis podem ser formados por papel (caixas de papelão, folhas, jornais, revistas), vidros, tecidos, plásticos (garrafas pet, sacolas, embalagens), metais (latas de alumínio, tampas, pregos) e resíduos orgânicos (restos de comida de origem animal ou vegetal).

Como identificar a cor de lixeira indicada para descarte de casa resíduo ou material específico?

Cada resíduo ou material tem uma cor de lixeira para depositar o lixo. Muitas pessoas ainda têm dúvidas sobre lixeira utilizar. Abaixo, descrevemos as cores das lixeiras e quais os produtos devem ser descartados em cada uma delas:

  • Amarela: objetos de metal;
  • Azul: papel e papelão;
  • Branca: descarte de resíduos médicos;
  • Cinza: resíduos que não podem ser reciclados;
  • Laranja: pode apresentar perigo a saúde;
  • Marrom: resíduos orgânicos;
  • Roxo: material radioativo;
  • Verde: vidros;
  • Vermelha: plásticos.

Separar o lixo em sua residência, na empresa ou no condomínio é um ato simples que pode fazer toda a diferença ao contribuir com a preservação com o meio ambiente. Para você fazer a sua parte fique atento aos dias de coletas do seu bairro.

Basta acessar o site da Prefeitura da cidade e procurar “coleta seletiva” digitar endereço de sua casa, condomínio ou empresa,e começar  depois digitar seu endereço e o número da sua casa, condomínio ou empresa, e começar a separar o seu lixo de acordo com os dias que eles passam na sua região.

STV no Litoral | Mantenha a sua casa de praia protegida o ano todo

Com temporada de praia se aproximando é hora de começar a fazer os preparativos para o verão. Quem é proprietário de imóvel no litoral sabe que também é época de deixar a casa preparada para a alta temporada e isto inclui fazer a revisão dos dispositivos e/ou serviços de segurança contratados para proteger o local.

Ter um sistema de proteção em pleno funcionamento instalado na casa é importante em baixa e alta temporada para garantir a segurança das pessoas e do patrimônio quando o imóvel estiver vazio e ocupado.

No Rio Grande do Sul, a STV possui unidade física localizada na Praia de Atlântida (RS) com toda estrutura e profissionais especializados prontos para atender as necessidades específicas de cada cliente.

A empresa oferece soluções personalizadas de segurança que integram:

  • Sistema de alarme monitorado;
  • Circuito fechado de televisão (CFTV) com vídeo verificação;
  • Controle de acesso monitorado;
  • Portaria e Vigilância;
  • Equipe de Pronto Atendimento 24h;
  • Equipe de fiscalização e acompanhamento;
  • Equipe de instalação e manutenção;
  • Central de monitoramento 24h exclusiva para atender os clientes do litoral.

No site da STV você encontra mais informações sobre os serviços de segurança para residências, condomínios, empresas e comércios: www.stv.com.br/serviços

Visite-nos no litoral ou agende uma visita com um de nossos consultores:

  • Endereço: Av. Paraguassu, 5295, Atlântida – RS
  • Fone: (51) 3689.4400

Treinamento e desenvolvimento STV: fortalecendo a estratégia

Equipe da STV com o instrutor Albano Mayer, da SIMBRASIL.

Sabemos que uma estratégia vencedora começa com um bom planejamento. Fazendo escolhas que posicionem exclusivamente a empresa em seu setor, de modo a criar vantagem competitiva sustentável e valor superior em relação à concorrência.

Todo líder precisa pensar estrategicamente e saber colocar em prática a estratégia. Fazer diagnóstico, realizar contratos de aprendizagens, executar ações de melhorias, acompanhar os resultados e se precisar, realizar ações de realinhamento e correção.

E com base nesse pensamento, se fez necessário desenvolver um treinamento que aprimorasse esse conhecimento nos Gestores de Negócio.

O Grupo STV não é líder no mercado de segurança privada por acaso. Um dos nossos diferenciais e que agrega valor ao cliente, é treinar constantemente nossos funcionários.  Faz parte de uma das etapas que compõe a nossa proposição de valor.

A Educação Corporativa STV em parceria com a Consultoria SIMBRASIL, realizou o treinamento para os nossos Gestores de Negócio onde o assunto abordado foi Estratégia e Mentoria.

Esse treinamento teve como objetivo maximizar o desempenho dos nossos gestores, para mantê-los atualizados em relação às mudanças e gerarem diferenciais no seu campo de atuação.

Para uma estratégia ser vencedora é preciso definir, dentro da organização, quais os principais objetivos e metas a serem alcançados em um determinado período. Estabelecer para qual segmento de mercado e com qual produto e/ou serviço irá competir. Definir a proposta de valor e a vantagem competitiva. Definir a competências e recursos para tal cumprimento que sustentem essas escolhas. E por último definir os sistemas e medidas que irão dar suporte a essas escolhas estratégicas.

Foram 8 horas muito bem investidas, compartilhando conhecimento e experiências. Momento de rever a estratégia de negócio e refletir sobre novas formas de planejamento e aplicação. O grupo parabenizou o instrutor Albano Mayer pela condução das atividades e interação com os participantes. Destacou-se a linguagem clara, que possibilitou a compreensão dos conteúdos com facilidade e reteve a atenção dos participantes.

Texto de Simone França (Analista de Treinamento e Desenvolvimento da STV).