A STV é a marca preferida na categoria Vigilância da 21ª Edição do Marcas de Quem Decide

Marcas de Quem Decide – Ed. 2019 | Foto: Marco Quintana (JC)

 

Na manhã da última terça-feira, dia 12 de março, aconteceu a 21ª edição do importante prêmio Marcas de Quem Decide.

Marcas de Quem Decide  é uma parceria entre o Jornal do Comércio e o Instituto Qualidata que, há 21 anos, avalia de forma simultânea as marcas mais lembradas e as preferidas em diversos setores da economia gaúcha. A pesquisa é realizada no Rio Grande do Sul com proprietários, sócios e diretores de empresas.

Neste ano, 75 categorias foram avaliadas e o público pode escolher qual era a marca mais lembrada e também a preferida em cada uma delas. O evento de entrega dos certificados ocorreu no Teatro do Sesi, em Porto Alegre, e contou com a presença de mais de 600 pessoas convidadas.

A programação teve início às 8h da manhã, com credenciamento e café da manhã para o público convidado.  Logo após,  teve início a cerimônia com apresentações musicais e a divulgação dos resultados da pesquisa com as marcas mais lembradas e preferidas da edição de 2019.

Mais uma vez, o resultado da pesquisa do Marcas de Quem Decide apontou a STV como empresa preferida na categoria Vigilância, no Rio Grande do Sul.

Valorizamos a preferência justamente por trazer o reconhecimento direto de um público conhecedor da marca, de seus serviços e que, em algum momento, já teve alguma experiência com a STV.

Agradecemos a todos pela preferência e, também, pela lembrança! Para nós, cada opinião é significativa porque nos mostra o resultado de nosso trabalho, indicando que estamos no caminho certo e nos incentiva a seguir trabalhando cada vez com mais excelência.

Confira algumas imagens do evento:

Marcas de Quem Decide – Edição 2019 | Foto: Claiton Dornelles (JC)

 

Jeferson Macedo, Gestor Comercial da STV Segurança. | Foto: Anelise Vasconcelos

 

Vanessa Thalheimer (Analista de Marketing STV), Samir Salimen (Agência PublivarOn), Jeferson Macedo (Gestor Comercial STV) e Anelise Vasconcelos (Coordenadora de Marketing STV)

 

A versão digital do caderno especial com toda a cobertura do evento e resultados da pesquisa pode ser acessado no link abaixo:
www.jornaldocomercio/pesquisa2019

Fontes: Jornal do Comércio | Instituto Qualidata | Marcas de Quem Decide

 

A importância da segurança na indústria

No início do ano, a Confederação Nacional da Indústria (CNI) divulgou dados que informam que o setor da indústria está gastando mais com segurança do que em pesquisa e desenvolvimento.

Segundo a CNI, só em 2017 os prejuízos causados devido a furtos, roubos e vandalismos junto aos gastos em segurança somaram cerca de R$ 30 bilhões no faturamento da indústria de transformação.

“As empresas estão tendo perdas com segurança pública no Brasil, com perda de mercadorias, com a necessidade de gastar mais com segurança”, fala o diretor de Estratégia da CNI, José Augusto Fernandes.

Em pesquisa realizada em 2017 com indústrias de pequeno, médio e grande porte de todo o Brasil, 53% dos entrevistados consideram que roubos, furtos e vandalismos aumentaram nas imediações de suas empresas e isso reforçou a necessidade de investir em segurança.

Essa estatística vem crescendo ao longo dos últimos anos, mas o prejuízo resultante da perda de mercadorias e da depredação do patrimônio é mais alto do que o investimento em segurança privada.

Os dados informados acima servem como um alerta para que a as indústrias tenham a preocupação devida com a segurança protegendo não apenas bens materiais, mas também colaboradores e clientes de possíveis ameaças, riscos e vulnerabilidades.

Para suprir essa demanda, a terceirização do serviço de segurança já faz parte da realidade de muitas indústrias e grandes fábricas que, ao contratar um serviço de proteção, acabam tendo inúmeros benefícios até mesmo estratégicos para o negócio.
Entre as vantagens na contratação de um serviço de segurança para indústrias podemos citar:

Redução de riscos e ameaças para a empresa
Menos prejuízos para a o negócio: ao contratar um serviço especializado;

Segurança personalizada
A opção de contratar um projeto de segurança personalizado que detecte riscos, possíveis ameaças e atenda as necessidades específicas de proteção da indústria;

Custos operacionais reduzidos
Com a terceirização, a empresa deixa de se preocupar com as demandas e custos que envolvem processos de seleção, contratação e até mesmo treinamento;

Aumento da produtividade
Sabendo que estão protegidos, os colaboradores se sentem mais seguros para exercer suas funções e até mesmo ao transitar nas imediações da empresa. Ficar exposto a ameaças é uma constante que pode até mesmo atrapalhar no rendimento dos funcionários;

Otimização de tempo para gestores e colaboradores
Permite que o foco dos profissionais permaneça em demandas específicas do negócio, do gerenciamento estratégico até a produção, deixando outras tarefas específicas como responsabilidade de empresas terceirizadas;

Conhecimento e a experiência de profissionais especializados em segurança para proteger todas as áreas da empresa 24/dia.

A STV conta com projeto de segurança exclusivo e personalizado que identifica os riscos, ameaças e vulnerabilidades em empresas e atende aos níveis de segurança e atender níveis de segurança física, eletrônica e humana. Conheça o sistema integrado de proteção para grandes empresas e entre em contato para falar com um de nossos consultores especializados: segurança para grandes empresas. 

Leia também: Cuidados com a segurança de sua empresa

Fontes:
Portal da Indústria
Agência Brasil – EBC 

Pesquisadores italianos visitam a STV

 

A STV foi a empresa privada brasileira escolhida para auxiliar em uma pesquisa realizada pela Università Iuav di Venezia e patrocinada pela União Europeia. Na tarde desta terça-feira, dia 16 de dezembro, dois estudantes de mestrado e uma das professoras responsáveis, Emanuela Bonini Lessing, vieram até a nossa unidade de Porto Alegre e entrevistaram o Gestor de Negócios Sérgio de Lucas Monteiro e a Gestora de Marketing, Estefânia Martins. Faz parte ainda deste trabalho, porém não esteve presente no dia, a professora italiana Simona Morini.

 O objetivo era entender as principais estratégias de segurança existentes na cidade com o intuito de efetuarem um comparativo com Bruxelas (Bélgica) e Veneto (Itália), que, segundo eles, possuem uma estrutura física muito parecidas, ou seja, no caso as três contam com cidades muito próximas que juntas poderiam ser consideradas uma região única.

A STV se sentiu muito honrada em ajudá-los nesta pesquisa e o fato de terem nos procurado demonstra o quão bem estamos posicionados no mercado. Após a entrevista, Monteiro enalteceu a iniciativa: “Esse trabalho é espetacular principalmente porque eles estão procurando entender a realidade de cidades estruturalmente muito parecidas para poderem melhorar a segurança local”.

Foto: Keti Milene