Vale do Sinos intensifica ação contra roubos e furtos de veículos

Perdendo em termos de prioridade somente para os homicídios, o combate às quadrilhas especializadas em roubos e furtos de veículos tem mobilizado a polícia de todo o Estado do Rio Grande do Sul. Porém, por ser considerada uma das regiões com maior incidência deste tipo de crime, o Vale do Rio dos Sinos agora conta com o trabalho intensivo da 2ª Delegacia de Polícia de São Leopoldo, localizada no bairro Scharlau. Segundo o Jornal VS (13.05.13), dias antes de receber essa reorientação no foco de atuação no final de março, a 2ª DP desarticulou uma quadrilha responsável por mais de 30 roubos e sequestros relâmpagos por mês.

Segundo dados da Secretaria de Segurança Pública do RS, somente nos três primeiros meses de 2013, 854 veículos foram levados nas 14 cidades que integram a área de investigação desta DP. E mais: 88% dos casos de roubo e furto ocorrem em somente 15 dos 497 municípios gaúchos, sendo que dois deles pertencem ao Vale do Sinos. Veja abaixo os números de 2011, 2012 e o comparativo com o primeiro trimestre de 2013 e acesse nossas dicas de segurança aqui.

Reprodução: Jornal VS (13.05.13)

Veja os bairros de PoA mais visados por ladrões de veículos

Inevitavelmente, todos os dias abrimos os jornais e nos deparamos com a mesma situação: a insegurança.  Somente de janeiro a março de 2013, 11.809 carros foram roubados ou furtados em Porto Alegre, segundo dados da Polícia Civil. Destes casos, 18% se concentraram em somente 50 ruas e avenidas da Capital. Teoricamente, essa pesquisa divulgada pela Rádio Gaúcha deveria fazer com que as autoridades direcionassem suas atenções a essas vias. De qualquer forma, veremos o que será feito com essas informações. Veja abaixo a lista dos 20 bairros mais visados por ladrões (reprodução Zero Hora).

 

Novos carros-fortes da STV

Fotos: Estefânia Martins

A STV, mais especificamente a divisão Proteção de Valores, adquiriu na metade de março dois novos carros-fortes a fim de melhorar ainda mais o serviço prestado aos seus clientes. Eles já foram pintados, a fim de seguirem o padrão de cores da empresa, e agora irão passar por uma última vistoria para enfim poderem ir para as ruas. Um deles será utilizado em Porto Alegre e outra na região do Vale do Sinos.

Salientamos que assim como já ocorre nos demais veículos, eles utilizarão um óleo especial (S-10) que solta menos fuligem, ou seja, não contribui para o aumento da poluição.

Além disso, é acrescido um líquido chamado de Arla 23, que é um agente redutor de NOx Automotivo cuja função é reduzir quimicamente ainda mais a emissão de poluentes por parte dos veículos equipados com motores diesel. Ou seja, mais um benefício ao meio ambiente.

 

STV no caderno Marcas de Quem Decide

O Jornal do Comércio publicou hoje (25.03.13) o caderno especial alusivo ao prêmio Marcas de Quem Decide 2013. Além dos resultados em si, com gráficos comparativos de anos anteriores, ele traz colunas que tratam de assuntos diversos, com destaque para aquilo que envolve a gestão de marcas. Lembramos que no dia da premiação nós já haviamos divulgado nossa conquista (leia aqui).

Abaixo, reproduzimos o texto referente à categoria Vigilância, na qual a STV se manteve pelo terceiro ano consecutivo como a marca preferida dos gaúchos, bem como o nosso anúncio de agradecimento que igualmente foi publicado.

Arte: Rosângela Grub | Texto: Estefânia Martins

 

Líderes decidem mais usando a emoção

Segundo pesquisa realizada pela consultoria Lee Hecht Harrison|DBM, divulgada no caderno Pense Empregos do jornal Zero Hora (17.03.13), a emoção está influenciando cada vez mais na hora dos líderes tomarem decisões, embora a razão ainda predomine. Uma das principais causas para um maior equilíbrio entre ambos é o aumento no número de mulheres nos cargos de chefia. O intuito da matéria não era dizer que elas usam somente o coração, mas sim que há uma maior valorização das circunstâncias e contextos em detrimento a dados e fatos racionais. O contexto igualmente tem influenciado os homens, visto que eles estão tendo que aprender a lidar com questões mais complexas e em cenários pouco conhecidos, o que não possibilita uma avaliação meramente lógica. Neste caso, portanto, o “sexto sentido” acaba sendo fundamental.

Reprodução: Pense Empregos | ZH Classificados – Fonte: LHH/DBM