Como reduzir custos desnecessários

Reduzir custos é o sonho de todo empresário, porém, implantar esse processo não é tão simples quanto parece. Para ajudá-lo, selecionamos algumas considerações sobre o assunto do consultor de gestão Vicente Falconi sobre o assunto.

  • Para Falconi, é difícil reduzir custos. Isso se dá pelo fato de que alguns deles permitem que a empresa construa valor, podendo mais tarde ser revertido em receita. O consultor afirma que em momentos difíceis como o que vivemos hoje, pode ser necessário aumentar investimentos como em marketing, por exemplo.
  • A primeira dica então, é diferenciar os custos dos desperdícios, fazendo a seguinte pergunta:  esse custo agrega valor à empresa?  Despesas que não agregam valor merecem atenção, pois ali existem oportunidades de ganhos.
  • Para reduzir os desperdícios ao mínimo, Falconi recomenda calcular anualmente todas as suas lacunas (oportunidades de ganhos), para que você tenha sempre um “cardápio” de melhorias a implementar.
  • O esforço de redução de custos deve ser contínuo, e não pontual, e todos os custos de uma empresa devem ser monitorados e comparados a valores ideais estabelecidos. Esse processo ajuda a compreender onde estão as perdas.
  • Por fim, Falconi explica que geralmente, costuma ser mais fácil para alguém de fora, sem vínculo com a empresa, identificar onde estão os excessos.

Para mais dicas de gestão, acesse o site:

https://www.falconi.com/pt/

STV apoia campanha nacional da PF

A Polícia Federal (PF), em parceria com a Fundação Brasileira de Ciências Policiais (FBCP) e com o apoio da Federação Nacional dos Sindicatos das Empresas de Segurança e de Transporte de Valores (Fenavist), lançou a Campanha Nacional de Prevenção e Combate à Segurança Clandestina. O objetivo é conscientizar a sociedade sobre a importância de se contratar empresas de segurança privada que sejam cadastradas e autorizadas a funcionar, ou seja, que sigam as determinações da Lei 7012/83 e suas regulamentações e paguem seus impostos em dia.

Para nós esse tema não é novidade, pois já batemos nessa tecla desde 2012, porém nós seguimos na luta e iremos apoiar toda e qualquer manifestação em prol da regularização da nossa área. Leia abaixo duas matérias que nós publicamos sobre o assunto.

Segundo informações divulgadas na revista da Fenavist, estima-se que a cada empresa regular há duas agindo irregularmente. Esse dado é alarmante principalmente se analisando o lado do cliente, isso porque somente as empresas que são fiscalizadas é que podem garantir que o profissional que irá lhe atender passou por treinamentos específicos a fim de realizar o serviço com excelência e ética. Ou seja, ao não pesquisar a procedência da empresa, você pode estar colocando a sua vida e o seu patrimônio em risco.

Ainda sobre este dado, porém agora sob a ótica das empresas legalizadas, cria-se uma concorrência desleal, pois com a sonegação de impostos e direitos trabalhistas, essas empresas irregulares cobram valores muito abaixo do praticado no mercado. É ai que as pessoas deveriam pensar naquele ditado de que “o barato sai caro”.

Outro problema enfrentado pelo nosso setor diz respeito aos agentes de segurança pública que fazem “bico” como agentes privados para complementar a renda. Dados do Ministério da Justiça pontuam que 77% dos policiais entrevistados admitem realizar esse serviço extra. Isso somente faz aumentar a oferta de serviços ilegais.

Cabe a nós alertamos novamente vocês sobre os riscos e, claro, não desistirmos. Mesmo que a concorrência desleal perdure, temos esperança de que com o aumento do rigor legal, isso possa ser reduzido em breve. E contamos com a sua conscientização!

STV intensifica segurança em PoA

Nossa equipe da divisão Alarmes Monitorados de Porto Alegre vêm realizando uma força tarefa desde o início do mês a fim de intensificar a segurança em nossos clientes. Agentes distribuídos em duas viaturas e duas motos estão rodando a cidade para trocar placas antigas, efetuar pequenos ajustes nos sistemas, como alteração de senhas, testes de pânico e reposicionamento de equipamentos, e, claro, divulgar nossa marca pelas ruas.

Esse trabalho seguirá sendo realizado por tempo indeterminado, a fim de mantermos essa proximidade com nossos clientes, que, inclusive, estão elogiando a iniciativa.

Fotos: Abel Paz

Crime em prédio reacende insegurança em PoA

Um condomínio residencial foi invadido por uma quadrilha na manhã do dia 18 de maio e a ação tão bem planejada chamou a atenção e fez ressurgir uma insegurança latente nos moradores de Porto Alegre. Isso porque o prédio em questão não contava com nenhum equipamento próprio de proteção, como câmeras ou alarme, dispondo somente de um porteiro, que facilmente foi rendido.

Leia aqui a matéria que saiu no Jornal Zero Hora sobre o assalto.

Em cidades maiores, esse caso pode parecer rotineiro, mas na Capital gaúcha, apesar de já terem sido registrados casos semelhantes em anos anteriores, ele assusta e faz com que, apesar da constante orientação quanto à importância da prevenção, as pessoas tenham que correr atrás de segurança.

Lá em 2012, nós desenvolvemos um projeto específico para condomínios, em que tentamos mostrar a importância de se criar o máximo de barreira protetoras possível para evitar o acesso indevido, bem como não deixar o próprio porteiro em risco. Muitas pessoas acharam exagero ou optaram por empresas menores, que ofereciam o básico com valor, claro, muito mais acessível. Não estamos aqui para avaliar essa escolha, somente voltarmos ao assunto e reiterar a importância que isso tem para a vida e o patrimônio do morador e sua família.

Abaixo está a planta baixa que havíamos criado para fins de visualização, enaltecendo que hoje dispomos de equipamentos diferenciados e ainda mais efetivos. A arte é de Rosângela Grub. Veja aqui os telefones das nossas unidades e ligue para a da sua região para obter mais informações.

Oportunidades profissionais em meio à crise

Na capa do caderno Pense Empregos, do jornal Zero Hora, do dia 05 de abril foi publicada uma matéria sobre as oportunidades que existem, apesar da crise econômica e o pessimismo empresarial, para os trabalhadores que estão buscando entrar no mercado de trabalho. Segundo depoimento da diretora de Consultoria da Prática de Transição de Carreira e Gerenciamento da LHH, o “momento da economia gera insegurança no trabalhador, mas atitude positiva e rede de contatos fortes podem reverter quadro e trazer benefícios ao funcionário”.

A matéria aborda tanto o medo que as pessoas têm em perder o emprego, estagnar na carreira ou mesmo não conseguir colocação no mercado. Para tudo isso, as sugestões são ter prudência, ou seja, pensar bem antes de mudar de trabalho, e não deixar o temor paralisar, até porque a pró-atividade e inovação são diferenciais que podem fazer com que você não seja incluído no caso de cortes de pessoal.

Já que um dos diferenciais da STV é o fato de possuir um Centro de Treinamento próprio, reproduzimos abaixo algumas dicas dadas pela especialista para que nossos alunos se mantenham motivados sempre. Até porque, muitas vezes, são nos momentos de turbulência que surgem as melhores oportunidades.

Alerta de corte de luz criminoso no litoral

 

Um fato chamou a atenção de alguns moradores de Xangrí-la, no Litoral Norte do Rio Grande do Sul. Na sexta-feira (10/01), diversas residências de uma mesma rua tiveram o disjuntor desligado, provavelmente com o intuito de, com a falta de energia, desativar o alarme para a efetivação do furto.

Ao sabermos disso, conversamos com nosso gestor de negócios da unidade de Atlântida, Rodrigo Fraga, a fim de entendermos se, caso essa ação ocorresse em algum de nossos clientes, estes ficariam desprotegidos, bem como se haveria alguma dica de prevenção, até para que não somente a tranquilidade seja mantida ao longo do veraneio, mas também durante o ano quando a casa está fechada.

Segundo Fraga, os atuais sistemas utilizados pela STV comunicam todo e qualquer evento para a Central de Monitoramento, ou seja, caso haja o corte de energia, chegará um sinal para que o operador comece a observar o cliente. Nesse meio tempo, entra em funcionamento a bateria do equipamento, que é o que garante que o local permanecerá protegido por até 6 horas.

“Em horário comercial, caso em 1h a luz não tenha sido reestabelecida, é enviado um pronto atendimento para verificar se a rede foi cortada bem como comunicar o proprietário, até para se certificar se não foi ele que solicitou alguma manutenção. De madrugada, qualquer falha é considerada como disparo de alarme, desta forma automaticamente a viatura vai até o local”, explica Fraga.

Ainda segundo ele, esses cortes pontuais costumam ocorrer muito no inverno. Antigamente, isso acontecia porque os cabeamentos em cobre e alumínio eram mais atrativos para o furto. Hoje, com as modificações no material, a ação é para o roubo nas residências mesmo. “Nós conseguimos saber se é uma falta de luz geral em algum bairro, aí alertamos a empresa de energia, ou se é de um cliente específico, e, assim, passamos a efetuar o procedimento todo de acompanhamento”, destaca o gestor.

Dica:

As baterias duram em média um ano. Isso porque há muita falta de energia durante inverno, o que faz com que ela seja recarregada inúmeras vezes e, com isso, vá perdendo carga, podendo não aguentar as 6h ininterruptas sem luz. Solicite a revisão constante dos seus equipamentos como um todo e não deixe de trocar as baterias quando a empresa sinalizar que é necessário.

STV lidera de novo o Marcas & Líderes 2014

Em sua 14ª edição, o prêmio Marcas & Líderes 2014 demonstrou novamente a força que a marca STV tem em Canoas. O troféu, que foi entregue no dia 04 de novembro no salão da Cics Canoas, foi recebido pelo nosso gestor financeiro, sr. Jerri Bertoni.

Abaixo reproduzimos os dados da pesquisa na categoria Empresa de Segurança e o anúncio de agradecimento que criamos, ambos publicados no caderno especial da premiação que saiu dia 13 de novembro.

Vale destacar que o evento é uma promoção do Diário de Canoas, em parceria com a Ulbra e a Cics Canoas, e teve novamente o patrocínio da STV. Em depoimento ao caderno, Bertoni destaca: “A STV é uma das patrocinadoras deste belo evento porque é um momento de agraciar as marcas mais importantes da cidade. Além disso, muitas das marcas vencedoras também são nossas clientes, então é uma bela forma de parabenizar todas as empresas lembradas”.

A STV apoia o Outubro Rosa

O movimento popular internacionalmente conhecido como Outubro Rosa é comemorado no mundo inteiro e tem como objetivo conscientizar as mulheres e a sociedade como um todo sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama.

A primeira ação ocorreu nos Estados Unidos em 1990, quando foi promovida a Corrida pela Cura na cidade de Nova York. Entretanto, foi em 1997, ainda em solo norte-americano, que efetivamente começaram a ser promovidas atividades voltadas à prevenção da doença e foi escolhido o mês de outubro como seu epicentro.

Hoje, o Outubro Rosa, cujo nome remete à cor do laço que simboliza mundialmente a luta contra o câncer de mama, é comemorado em diversos lugares, inclusive no Brasil, quando diversas empresas desenvolvem campanhas de conscientização e monumentos importantes ganham a tonalidade rosa.

Nós da STV, que trabalhamos diariamente com a questão da prevenção junto aos nossos clientes, claro que apoiamos essa campanha, ou seja, também fazemos parte do Outubro Rosa!

STV na Revista Venda Mais

Diversos profissionais da STV, desde Gestores a consultores, estão sempre se atualizando com a Revista Venda Mais, bem como participando dos treinamentos que eles oferecem, com o intuito de sempre oferecermos o melhor para nossos clientes.

Na edição de julho, o Gestor Sênior Jorge Vargas deu um depoimento bem legal referente à Roda de Vendas, ferramenta criada pelo Raúl Candeloro, diretor da revista e um dos maiores estudioso no assunto, que visa a desenvolver as habilidades dos vendedores. Leia abaixo:

 

A luta contra a segurança clandestina

Nós estamos sempre lutando contra a criminalidade a fim de melhorar a vida da sociedade como um todo. Porém, como uma empresa que está sempre em dia com seus impostos, temos uma outra luta interna, que é por uma maior e igual fiscalização no nosso ramo.

Em agosto de 2012, nós publicamos uma matéria visando a alertar quanto ao crescente surgimento de empresas de segurança clandestinas (leia aqui), porém pouco mudou nesses dois últimos anos, ou melhor, diríamos que piorou. Elas seguem existindo, seguem oferecendo preços baixos e ganhando novos clientes que acreditam estar sendo protegidos. Não vamos entrar no mérito e nominá-las, mas é fundamental voltarmos nesse assunto, pois grande parte não paga seus impostos, não divulga seu faturamento real e, por isso, conseguem oferecer valores atrativos e, no final, infelizmente, serviços ineficientes.

À pedido do nosso diretor financeiro, enviamos um artigo ao Jornal do Comércio e publicamos abaixo ele na íntegra. Sugerimos a sua leitura e, claro, reflexão.