STV fala sobre segurança nas férias para TVE

Foto: Estefânia Martins

O gestor da divisão Alarmes Monitorados de Porto Alegre, Sérgio de Lucas Monteiro, concedeu uma entrevista nesta manhã (08 de janeiro) para o programa Canal Aberto da TVE. O objetivo da reportagem foi abordar a questão da segurança em residências durante o período de férias. Segundo Monteiro, um dos principais erros quando as pessoas viajam é deixarem as luzes acessas, o que seria um grande aviso aos delinquentes de que o local está inabitado. “Sugerimos sempre que as pessoas peçam a revisão do sistema de alarme antes de viajarem, visto que 99% da segurança é prevenção e 1%, sorte”, destaca ele.

A matéria, além de falar dos serviços oferecidos pela STV, focou justamente nessas dicas de prevenção, visando a blindar ainda mais o local. O gestor pontua que é importante “avisar aos vizinhos de confiança de que não haverá gente em casa e cortar a assinatura de jornais e revistas”. Além disso, é fundamental atentar para a empresa de segurança contratada, ter certeza de que ela é legalizada e credenciada para atuar nesse ramo, pois as que são clandestinas oferecem ainda mais riscos para o seu patrimônio ao não contarem com profissionais treinados para tal função. Esse assunto nós já tratamos em outra postagem, leia aqui.

O programa foi ao ar no mesmo dia e é possível ver na íntegra clicando aqui.

Alerta de corte de luz criminoso no litoral

 

Um fato chamou a atenção de alguns moradores de Xangrí-la, no Litoral Norte do Rio Grande do Sul. Na sexta-feira (10/01), diversas residências de uma mesma rua tiveram o disjuntor desligado, provavelmente com o intuito de, com a falta de energia, desativar o alarme para a efetivação do furto.

Ao sabermos disso, conversamos com nosso gestor de negócios da unidade de Atlântida, Rodrigo Fraga, a fim de entendermos se, caso essa ação ocorresse em algum de nossos clientes, estes ficariam desprotegidos, bem como se haveria alguma dica de prevenção, até para que não somente a tranquilidade seja mantida ao longo do veraneio, mas também durante o ano quando a casa está fechada.

Segundo Fraga, os atuais sistemas utilizados pela STV comunicam todo e qualquer evento para a Central de Monitoramento, ou seja, caso haja o corte de energia, chegará um sinal para que o operador comece a observar o cliente. Nesse meio tempo, entra em funcionamento a bateria do equipamento, que é o que garante que o local permanecerá protegido por até 6 horas.

“Em horário comercial, caso em 1h a luz não tenha sido reestabelecida, é enviado um pronto atendimento para verificar se a rede foi cortada bem como comunicar o proprietário, até para se certificar se não foi ele que solicitou alguma manutenção. De madrugada, qualquer falha é considerada como disparo de alarme, desta forma automaticamente a viatura vai até o local”, explica Fraga.

Ainda segundo ele, esses cortes pontuais costumam ocorrer muito no inverno. Antigamente, isso acontecia porque os cabeamentos em cobre e alumínio eram mais atrativos para o furto. Hoje, com as modificações no material, a ação é para o roubo nas residências mesmo. “Nós conseguimos saber se é uma falta de luz geral em algum bairro, aí alertamos a empresa de energia, ou se é de um cliente específico, e, assim, passamos a efetuar o procedimento todo de acompanhamento”, destaca o gestor.

Dica:

As baterias duram em média um ano. Isso porque há muita falta de energia durante inverno, o que faz com que ela seja recarregada inúmeras vezes e, com isso, vá perdendo carga, podendo não aguentar as 6h ininterruptas sem luz. Solicite a revisão constante dos seus equipamentos como um todo e não deixe de trocar as baterias quando a empresa sinalizar que é necessário.

Pesquisadores italianos visitam a STV

A STV foi a empresa privada brasileira escolhida para auxiliar em uma pesquisa realizada pela Università Iuav di Venezia e patrocinada pela União Europeia. Na tarde desta terça-feira, dia 16 de dezembro, dois estudantes de mestrado e uma das professoras responsáveis, Emanuela Bonini Lessing, vieram até a nossa unidade de Porto Alegre e entrevistaram o Gestor de Negócios Sérgio de Lucas Monteiro e a Gestora de Marketing, Estefânia Martins. Faz parte ainda deste trabalho, porém não esteve presente no dia, a professora italiana Simona Morini.

 O objetivo era entender as principais estratégias de segurança existentes na cidade com o intuito de efetuarem um comparativo com Bruxelas (Bélgica) e Veneto (Itália), que, segundo eles, possuem uma estrutura física muito parecidas, ou seja, no caso as três contam com cidades muito próximas que juntas poderiam ser consideradas uma região única.

A STV se sentiu muito honrada em ajudá-los nesta pesquisa e o fato de terem nos procurado demonstra o quão bem estamos posicionados no mercado. Após a entrevista, Monteiro enalteceu a iniciativa: “Esse trabalho é espetacular principalmente porque eles estão procurando entender a realidade de cidades estruturalmente muito parecidas para poderem melhorar a segurança local”.

Foto: Keti Milene

STV na Revista Venda Mais

Diversos profissionais da STV, desde Gestores a consultores, estão sempre se atualizando com a Revista Venda Mais, bem como participando dos treinamentos que eles oferecem, com o intuito de sempre oferecermos o melhor para nossos clientes.

Na edição de julho, o Gestor Sênior Jorge Vargas deu um depoimento bem legal referente à Roda de Vendas, ferramenta criada pelo Raúl Candeloro, diretor da revista e um dos maiores estudioso no assunto, que visa a desenvolver as habilidades dos vendedores. Leia abaixo:

 

A luta contra a segurança clandestina

Nós estamos sempre lutando contra a criminalidade a fim de melhorar a vida da sociedade como um todo. Porém, como uma empresa que está sempre em dia com seus impostos, temos uma outra luta interna, que é por uma maior e igual fiscalização no nosso ramo.

Em agosto de 2012, nós publicamos uma matéria visando a alertar quanto ao crescente surgimento de empresas de segurança clandestinas (leia aqui), porém pouco mudou nesses dois últimos anos, ou melhor, diríamos que piorou. Elas seguem existindo, seguem oferecendo preços baixos e ganhando novos clientes que acreditam estar sendo protegidos. Não vamos entrar no mérito e nominá-las, mas é fundamental voltarmos nesse assunto, pois grande parte não paga seus impostos, não divulga seu faturamento real e, por isso, conseguem oferecer valores atrativos e, no final, infelizmente, serviços ineficientes.

À pedido do nosso diretor financeiro, enviamos um artigo ao Jornal do Comércio e publicamos abaixo ele na íntegra. Sugerimos a sua leitura e, claro, reflexão.

Prepare-se para o verão

Chegamos aos dois últimos meses do ano e, assim como sempre ocorre, as casas na praia começam a receber pequenas manutenções para que estejam prontas para o período do veraneio. Na nossa unidade do Litoral Norte, em média, há o aumento de 50% nas instalações de alarme já a partir de novembro, procura que se estende até o mês de fevereiro. Se você não sabe ainda se contrata ou não alguma empresa de segurança, lembre-se de que, com o aumento no movimento de pessoas, costumam ocorrer principalmente pequenos furtos que, com a presença do sistema de segurança, poderiam ser evitados. Destacamos mais algumas informações cedidas pelo Gestor de Negócio da unidade, Rodrigo Fraga:

– As instalações no litoral acontecem no prazo de 15 dias, portanto, o ideal é que nunca deixem para a última hora.

– Além do alarme, sugerimos a instalação de Câmeras, muito úteis também para a proteção ao longo na baixa temporada.

– A STV oferece um plano de manutenção trimestral para já-clientes, o que garante o perfeito funcionamento dos equipamentos o ano todo.

– Dentre nossos principais diferenciais, destacamos a equipe técnica própria e qualificada, com plantão 24 horas, nossos comerciais capacitados para realizarem um diagnóstico efetivo de riscos e, consequentemente, criando um projeto que supra as necessidades do cliente e o pronto atendimento 24 horas, que atua realizando rondas preventivas e, por isso, está sempre mais próximo dos clientes para realizar o atendimento.

Prepare-se para o verão. Ligue para 3689.4400 e agende a visita de um de nossos consultores.

STV no programa Conexão da TV Unisinos

O carnaval já passou, mas o veraneio ainda se estende nas praias até o final do mês de fevereiro e, por isso, algumas cidades seguem com a população abaixo do normal. Nosso consultor de vendas da regional Vale do Sinos Canísio Eidelwein participou do programa Conexão, da TV Unisinos o dia 07/02 e debateu o assunto junto ao inspetor-chefe da Guarda Municipal de Novo Hamburgo, Marcos dos Santos, e a estudante universitária Regina Milbradt, que teve sua casa arrombada nessa época do ano.

Nós separamos os três blocos do programa para que vocês possam visualizar na íntegra, porém, antes, queríamos destacar alguns detalhes que nos chamaram a atenção. A reportagem relatou que o efetivo da Brigada Militar na região diminui em torno de 9% durante o veraneio, visto que há a necessidade de deslocamento para o litoral devido à Operação Golfinho. Assim, o patrulhamento passa a ser mais próximo aos bairros, principalmente os residenciais, que visivelmente ficam mais abandonados e um prato cheio para a ação criminosa. Porém, esse efetivo que permanece é considerado abaixo do ideal para que seja mantida uma segurança mínima nas cidades, tanto que há um aumento nos roubos em Novo Hamburgo, por exemplo, nos meses de janeiro e fevereiro em comparação a abril e maio.

Segundo Canísio, as pessoas costumam se preocupar mais com a segurança quando pretendem se ausentar, mas o bem da verdade é que o ladrão está ai o ano todo, afinal ele não tira férias. As pessoas deveriam sim é buscar a segurança privada já na hora em que constroem ou adquirem a propriedade, para que seja feito um projeto especifico a necessidade do cliente, com alarme, câmeras e cerca elétrica. Ele alerta, ainda, para os erros cometidos na hora de contratar a empresa de segurança: “Procure uma empresa séria, legalista, até porque normalmente as pessoas vão pelo menor preço” e, assim como ocorre em diversos segmentos, grande parte não é legalizada, o que pode causar sérios problemas depois ao cliente.

Assista o Bloco 1, Bloco 2 e Bloco 3 do programa Conexão, produzido pela Universidade Unisinos e que foi ao ar no dia 07 de fevereiro de 2013.

Dúvidas mais frequentes sobre o Rastreador Veicular

Nós fizemos uma relação das perguntas mais frequentes em relação ao Rastreamento Veicular e procuramos respondê-las da forma mais didática possível. Como às vezes a dúvida de um pode ser a de outros, compartilhamos com vocês:

1. Qual a diferença entre um rastreador e um bloqueador de automóveis?

Bloqueadores são dispositivos eletrônicos que recebem informações de uma Central de Operações via sinal de radiofrequência e realizam o bloqueio do motor do veículo. Não há retorno de informações do produto para a central, não permitindo, portanto, a localização do veículo. Rastreadores são dispositivos eletrônicos que possuem a capacidade de bloquear o motor e realizar outras funções de forma remota, como a identificação da posição geográfica do veículo utilizando antenas de GPS.

2. É possível instalar o Rastreador Veicular da STV se já existe alarme no veículo?

Sim. O rastreador é composto por um dispositivo destinado ao bloqueio e localização do veículo em movimento, o que não impede a utilização de outro equipamento em simultâneo para a proteção do veículo estacionado em caso de violação do mesmo.

3. Qual a importância de ter o meu veículo rastreado?

Essa tecnologia permite que seu veículo seja rastreado minuto a minuto enquanto ele estiver ligado. Quando desligado, o sistema analisará de tempos em tempos se houve algum deslocamento não autorizado. Toda esta informação é disponibilizada para o Monitoramento Veicular STV, que toma as devidas providências.

4. O Monitoramento Veicular STV pode ser instalado em ônibus, caminhões, veículos a diesel ou que trabalhem com 24 volts?

Sim. O ele pode ser instalado tanto em carros de passeio como em caminhões, ônibus, tratores e guinchos sem a necessidade de qualquer tipo de adaptação, pois são 12 v e 24 v.

5. Qual é a precisão de localização do Monitoramento Veicular STV?

A precisão de localização e posicionamento do veículo varia conforme disponibilidade dos satélites e influências atmosféricas, como umidade do ar, temperatura e etc. Sendo assim, a precisão de localização do veículo possui uma margem de erro de até 10 metros de raio do ponto central, sendo que na maioria das vezes ela é menor que esta medida.

6. Vou deixar meu veículo em um estacionamento e desejo mantê-lo bloqueado, é possível?

A maioria dos veículos conta com sistemas de alarme e estes equipamentos são acompanhados pela STV. Mas também é possível contatar o Monitoramento Veicular STV e solicitar o bloqueio prévio.

7. O que é “bloqueio progressivo”?

Bloqueio progressivo é um recurso de segurança para cortar/bloquear o motor de veículo progressivamente e não de forma instantânea. Isto possibilita que o condutor tenha tempo de encostar o veículo em um local seguro antes da parada total do motor.

8. Quais as vantagens do Rastreador Veicular STV para frotistas?

Dentre as diversas funcionalidades, o produto permite que dono ou administrador da frota visualize todos os veículos em uma só tela, tenha acesso direto a relatórios, como rotas e horários de tráfego, tanto dos veículos, quanto da frota em geral.

Ficou com alguma dúvida ou se interessou pelo nosso produto? Entre em contato através do telefone 3553.7744.

Parceria amplia segurança no Litoral Norte

Engana-se quem pensa que nessa época do ano as praias gaúchas ficam paradas. Na verdade, o período de calmaria é propício para fazer algumas revisões nos planejamentos e a questão da segurança obviamente não fica de fora da pauta. Uma proposta inédita da Brigada Militar promete proporcionar um veraneio muito mais seguro para quem for para as praias pertencentes a Capão da Canoa e Xangri-la.

Em agosto, iniciou-se uma experiência de 90 dias em que quatro empresas de segurança da região, incluindo a STV Segurança, dispõem de um rádio NEXTEL ligado diretamente à sala de monitoramento da BM. Desta forma, caso a viatura ou a moto de uma das empresas visualize uma ocorrência de roubo ou furto, independente da segurança que o local possua, é possível avisar prontamente à BM, que agirá muito mais rápido do que se trabalhasse sozinha. Isso será um enorme ganho para a população como um todo e não somente para os clientes das empresas parceiras.

No momento, somente as empresas STV, ALERT VISION, HSS e STAFF fazem parte desse projeto. Após esses três meses de testes, é provável que mais algumas sejam incluídas, desde que possuam o alvará do Grupamento de Supervisão de Vigilância e Guardas (GSVG), que indica que foram vistoriadas pela Brigada Militar.

Quem representou a STV nas reuniões que culminaram com esta parceria foi o Gestor da unidade de Atlântida, Marcos Andrade, que enaltece justamente essa velocidade de reação da Brigada Militar. “O rádio ficará aberto para que todos possam ouvir o que está ocorrendo, tornando o atendimento muito mais ágil”, destaca ele.

Unidade da STV no Litoral Norte | Crédito: Estefânia Martins